ESG, Token, Crédito de Carbono… Quem chega primeiro bebe água limpa!

06/01/2022

Por Rafael Fernandes - Sócio da AOF Business 

(O presente artigo é uma opinião exclusiva e pessoal do seu autor)

A tokenização de ativos está se transformando em uma realidade cada vez mais presente no nosso cotidiano. Os mecanismos disponíveis hoje permitem a fragmentação de contratos e direitos sobre ativos sem a demasiada burocracia imposta pelo sistema legal. Não obstante, a formalidade deve estar presente em processos de tokenização, desde a sua origem. O que as plataformas e exchanges possibilitam, na verdade, é que tais ativos cheguem nas mãos de pessoas com toda essa bagagem de formalidades devidamente estruturada, facilitando a aquisição de fragmentos desses direitos em questão de segundos.

Quando descobri o universo da tokenização, logo compreendi que o futuro da advocacia e dos negócios passaria por ali. Lembro-me bem de ter assistido a um documentário belissimamente produzido pelo Canal Futura, com o advogado e apresentador Ronaldo Lemos (China: Os Super Aplicativos e a Economia do Compartilhamento | Expresso Futuro com Ronaldo Lemos - No Youtube - https://www.youtube.com/watch?v=dXf_BH7hhy0). Na China já existem super aplicativos que criam todos os ambientes necessários para os pequenos empresários, mesmo ambulantes, possibilitando que os mesmos convencionem, em segundos, sociedades e parcerias entre si, com automação de divisão de lucros e receitas (splits), além de diversas outras funcionalidades inclusas: sistema de delivery, pagamento com cartão ou criptomoedas, controle de estoque, enfim, infinitas possibilidades que facilitariam a vida dos nossos pequenos negócios - por aqui - em terras Brasileiras, tratava-se somente de uma questão de tempo.

Há um ditado que diz: "quem chega primeiro bebe água limpa", foi assim que decidi abraçar um projeto muito ousado da então StartUp Celo4 Earth. Coordenada por Murillo Ferreira, a empresa possuia como Core Business a intermediação de Créditos de Carbono. Em uma rodada de apresentações de projetos realizada no Ecossistema da Raja Valley, a proposta da Celo4 foi a única selecionada pela AOF Business entre mais de 50 outros projetos interessantes de inovação, porém, este apresentava requisitos técnicos interessantes: viabilidade econômica, necessidade de estruturação de mercado e gerenciamento de processos para maior inovação.

Todo desafio merece ser apreciado com parcimônia, sem alarde, mas mantendo o espírito de desbravamento. A disrupção é a chave e o lema desses empreendedores digitais que possuem sonhos que podem parecer intangíveis para alguns, mas basta um bom gerenciamento para definição de fases bem ajustadas para que se tornem realidade.

Uma das ideias propostas em meados de 2020 seria a criação de um mecanismo de tokenização para fragmentar os créditos de carbono, permitindo pulverizá-los no mercado, gradativamente, criando um segundo mecanismo de consumo, ou melhor conceituando, criando o próprio mercado, foi assim que desenvolvemos uma parceria com a CNT- Confederação Nacional do Transporte, para que os tokens pudessem ter alguma utilidade prática, facilitando os processos de adequação de políticas ESG das empresas de transporte do Brasil.

O maior desafio, seria criar uma calculadora com todos os requisitos técnicos de medição de emissões conforme a frota dessas empresa, mas isso deveria abarcar vários parâmetros: modelo dos veículos, quilometragem média rodada, ano de fabricação, tipo de combustível, compostos químicos emitidos, entre outras dezenas e dezenas de variáveis. Não fosso o esforço hercúleo da equipe da Celo 4, em parceria com a CNT, nada disso seria possível.

É impressionante ver a disposição e dedicação que o pessoal da área de TI possui, esses "startupers" sabem como se organizar e produzir!

Em questão de meses, não mais que quatro, todas as barreiras técnicas para concretização desses cálculos foram vencidas, fora criada a calculadora batizada de VERDEN, que estreará em Janeiro de 2022, pelo programa Despoluir da CNT.

É a vitória, não de um negócio, mas de um propósito, um ideal que alimenta todos os profissionais envolvidos nessa missão de proporcionar ao usuário a facilidade de realizar uma consultoria de cálculo de suas emissões, com consequente compensação, em questão de minutos, sem custos exagerados para suas empresas.

Um programa de ESG sempre esbarra nessa questão técnica de se apurar corretamente as emissões e buscar neutralizá-las com a máxima precisão, esse era o problema chave a ser simplificado, o que foi feito com muito zelo pela equipe coordenada pelo Murillo Ferreira (Celo4).

Dado esse passo inicial em um novo plano de facilidade, caberá agora a Confederação Nacional de Transporte e a equipe do Programa Despoluir, criar as políticas do mercado, com a concessão de Selos próprios de neutralização, além dos selos de Vistoriamento de Emissões Veiculares, já em curso, e que atingiu a feliz marca de mais de 3 milhões de veículos vistoriados.

A intenção é que os grandes players do mercado passem a contratar, cada vez mais, as transportadoras que possuam estes selos, garantindo que sua cadeia produtiva seja neutralizada, pois nada adianta uma grande rede, por exemplo, tratar de suas políticas de ESG e permanecer contratando em sua cadeia produtiva empresas que nada colaboram com o meio ambiente.

A chave para o sucesso desse trabalho de parceria com a Celo 4, sem dúvida alguma, é esse esforço de (literalmente) dar sangue e suor para vencer obstáculos, tudo em prol de um ideal.

Costumamos brincar entre nós, referindo a um trecho da música de Tiago Iorc e Samuel Rosa, que miramos a lua e acabamos acertando as estrelas. A força de propulsão da equipe envolvida, com esse ideal de fazer o bem ao meio ambiente e quebrar barreiras para esse segmento é apenas um primeiro passo para tudo aquilo que almejamos alcançar.

Saiba mais sobre o CO2 Redress Token