O que é uma boa governança corporativa?

07/05/2019

Governança Corporativa é basicamente uma divulgação detalhada de informações e um relato da situação financeira de uma organização, desempenho, propriedade e governança, relacionamento com os acionistas, seus empregados, fornecedores e compromisso com a ética e os valores empresariais. 

Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa:

Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas.

As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão da organização, sua longevidade e o bem comum. 

Sempre que se fala em governança corporativa, deve-se ter em mente que as organizações têm deveres e responsabilidades para com seus acionistas e partes interessadas e, portanto, precisam ser governadas de acordo com a lei.

O próximo aspecto da governança corporativa é que a noção de eficiência econômica deve ser seguida ao dirigir, gerenciar e controlar organizações. Por exemplo, é óbvio que as corporações existem para obter lucros e, portanto, a lucratividade e a geração de receita devem ser o objetivo pelo qual as corporações devem se esforçar.

Naturalmente, isso não significa que as corporações possam cortar custos em sua busca de lucro, portanto, deve se esforçar para gerar receitas e obter lucros de forma transparente e responsável, de acordo com as normas e procedimentos padrões que se aplicam à conduta ética e normativa.

Em linhas gerais, pode-se dizer que a governança corporativa abrange os princípios de direito e tratamento equitativo dos acionistas, alinhado com o comportamento ético dos negócios, juntamente com a prática da integridade.

O Ordenamento Jurídico fornece uma plataforma na qual as corporações podem decidir suas transações ao mesmo tempo em que fornecem a flexibilidade para expandi-las e contextualizá-las de acordo com suas necessidades . A função da lei é garantir que os objetivos da corporação sejam benéficos para a sociedade como um todo e não haja conflito de interesses.

Acima de tudo, o maior fator que influencia e direciona as decisões do corporativo é o próprio mercado

Para seguir as orientações fornecidas pelo Banco Mundial para as economias emergentes, os três pontos foram identificados:

  • Transparência
  • Auditoria Independente
  • Prestação de contas

Para manter sua legitimidade e credibilidade, a empresa teria que basear suas decisões, levando em consideração os parâmetros acima. A autorregulação por parte das empresas continua a ser uma possibilidade distante no futuro próximo, especialmente na esteira da atual crise econômica, o papel da lei e do governo torna-se primordial para garantir que os interesses maiores não sejam comprometidos.